J-O-S-I-C-L-E-I-D-E

O nome da importância

Anúncios

Julgue meu modo de viver..
Orgulho dessa minha determinação ..
Sou eu quem faço a mudança nesse momento..
Importante, difícil, mas importante mudança..
Claro que nem tudo são flores..
Logo eu, marcada por tantas dificuldades..
Educarei minha filha para se tornar A MULHER..
Inteligente, forte, e assim como eu, orgulhosa..
De mim deixarei só um sorriso frágil no passado..
E agora, vamos viver.

Até mais(Para sempre)

Bem, aconteceu mais uma vez. 

Não presto!

Meu ego, confiança, não passam das maiores fontes de mentiras, cujo o depósito está cheio, transbordando em uma mesa de cartas de pensamentos e atitudes de bosta. 

Despenco na ilusão de mudança, direção diferente, caminhos. Mais uma vez me dou conta que não consigo sentir simpatia, compaixão com alguém. Todo mundo é descartável para mim, segundo as idéias que se passam em minha cabeça, nas quais não possuo mais controle… A solução? Fazer o que faço… Seguir o rumo sozinho, aprender sozinho, causo menos estresse aos que finjo me apegar. Por tanto, Sorriso Bonito, foi ótimo ter te conhecido, seguindo a tendência tecnológica, somente por mensagens.

Digo: ‘Até mais.’

Refúgio de pensamentos e atitudes.

Confuso até escrevendo.

Sabe…

Ando me comportando como um ser perdido no meio do mato, não sabendo o que fazer, não querendo se apegar, não querendo mais criar expectativas. Antes calado, agora um tagarela de problemas. Antes só, agora um rapaz social. Agora um tagarela, amanhã calado. Agora social, amanhã só. 

Forasteiro do mundo, não posso mais andar sem ser visto, ser estranho do moderno cotidiano não é opção, não deveria ser, pelo menos. 🤗

Recluso em meio de tantas pessoas que gostam de estar comigo, desculpe-me, mas não as quero perto, muito menos quero que gostem. Infelizmente o apego me assusta mais do que parece normal em suas visões, por tanto… Fiquem, insistam.

Corro perdido no meio do mato, no meio do dia, em meio da vida. Busco minha própria explicação sobre o ‘por quê’, sobre ‘como’, sobre ‘você’.

Carta a Humorista

 ‘Tortura me com todo seu humor, humorista do belo sorriso. Não precisa mais se divulgar, você já me ganhou com a mais simples das suas piadas, sobre a aquela que não existe um futuro próximo. Foi engraçada.

Srta. Humorista, virei seu fã, mas como fã devo lhe dizer; fique nesse palco o qual a acolheu. Talvez um dia precise mudar, mas enquanto houverem aplausos, risos, olhares atentos, fique!

Precisarei de mais tempo para reformar o meu palco, não tem como deixar alguém se apresentar nesse piso quebrado, com a falta de cortina, sem iluminação e nem caixa de som. Preciso gastar um pouco mais para enfim poder acolher melhores artistas, mas por enquanto… Fique onde está, faça grandes apresentações, escolha as melhores piadas, se torne parte desse palco, permita-se ser feliz.’